O Mundo
dos negócios

Quais as diferenças entre barreiras Tarifárias e barreiras não tarifárias no comércio internacional?

Para proteger a indústria nacional da concorrência internacional, os governos impõem limites às importações e devido a este fato a comunidade internacional criou regras para impedir que, de forma individual, os governos buscassem benefícios próprios e isso se deu através da implantação das barreiras tarifárias e não-tarifárias.

O Acordo Geral de Tarifas e Comércio (GATT) foi adotado em 1947, substituído pela Organização Mundial do Comércio (OMC) em 1994, e surgiu para evitar o uso de barreiras, a fim de aumentar os ganhos de comércio ou outros objetivos nacionais restritos.

unq o mundo dos negocios barreiras Tarifárias e barreiras não tarifárias no comércio internacional

São chamadas de barreiras tarifárias àquelas tarifas que estão relacionadas a taxas de importação e taxas diversas, constituindo-se no aumento das tarifas aduaneiras sobre os produtos importados, com intuito de dificultar a entrada de um determinado produto no mercado, favorecendo desta forma o produtor interno e promovendo as exportações (BEGHIN, 2006).

         Já as Barreiras não tarifárias (BNTs) são mecanismos e instrumentos de política econômica que influenciam o comércio internacional sem aplicação de tarifas. Os tipos clássicos de BNTs são às quotas de importação e as barreiras técnicas às quais são consideradas informações técnicas, científicas e tecnológicas de processamento e a destinação final dos produtos.

Com relação às barreiras não tarifárias, essas tratam de:

  • limitações quantitativas
  • licenças de importação
  • procedimentos aduaneiros
  • valoração aduaneira arbitrária ou com valores fictícios
  • medidas antidumping
  • medidas compensatórias
  • subsídios
  • medidas de salvaguarda
  • medidas sanitárias e fitossanitárias

Sendo essas duas últimas classificadas como barreiras técnicas, formando um subgrupo das barreiras não tarifárias (BRASIL, 2016).

E o que são barreiras técnicas?

Continue lendo

Outsourcing Internacional é uma boa estratégia de negócios?

Com a globalização da economia e a queda das barreiras alfandegárias, as empresas e governos buscam estratégias para uma atuação profícua no comércio exterior e uma destas estratégias é o Outsorcing Internacional. É através dela que as organizações adquirem produtos fabricados no exterior e os revenderem para seus mercados locais ou estrangeiros, com a marca e logotipo.

O Outsourcing Internacional vem se tornando um mecanismo cada vez atrativo para fazer frente à incapacidade de competir com os preços de produtos externos, já que a compra no mercado internacional é muitas vezes mais barata do que a a fabricação da mesma mercadoria com maquinários e matérias-primas próprias além de praticamente eliminar a inviabilidade de se investir na fabricação de produtos com valor agregado muito alto.

Quais as vantagens do outsorcing internacional?

A importação propicia o alcance de produtos aparentemente distantes e pode abrir campo para diversas possibilidades como:

Continue lendo

Negociação internacional: como usar a inteligência cultural a seu favor

Com a busca pela competitividade entre os diferentes setores da economia, o conhecimento aprofundado da cultura entre os países que negociam entre si, pode trazer uma grande vantagem competitiva para as empresas.

Será que podemos afirmar então que a inteligência cultural pode afetar uma negociação internacional?

Com o advento da globalização, a abertura de novos mercados trouxe-nos a possibilidade de conhecer valores, tradições, culturas e costumes muito diferentes dos que estamos habituados em nosso país de origem.

A medida que os esforços comerciais avançam para o mercado internacional, as empresas sentem a necessidade de estudar as diferenças culturais dos países com os quais negociam e esse conhecimento torna-se fundamental para o sucesso da negociação.

A habilidade de interagir e comunicar-se com as outras culturas é atualmente conceituada como “Inteligência Cultural”.

Todas as pessoas possuem habilidades para se desenvolverem culturalmente através da educação formal ou treinamento e assim potencializar a inteligência cultural, desenvolvimento esse que é tão ou até mais importante que um contrato internacional.

Você já passou por alguma situação constrangedora por não conhecer os costumes do país no qual foi visitar e desenvolver negócios?

As barreiras culturais são muitas e sem o conhecimento adquirido pela experiência e estudos, fica mais difícil conseguir ter êxito nas negociações internacionais.

Divida sua experiência conosco!

Saiba qual a importância do Siscomex para a viabilização dos processos de importação e exportação

Quando se busca agilidade nos processos de Comércio Exterior, muita gente ainda desconhece o Siscomex embora a viabilização dos processos de importação e exportação só ocorram após o registro no sistema.

E, embora esse registro seja feito apenas pelo Despachante Aduaneiro, você sabia que a Habilitação das empresas no Siscomex pode ser feita por uma empresa especializada que o auxiliará na junta de documentos? O Governo Brasileiro, através da Receita Federal, tem cada vez mais estimulado o acesso das empresas ao exterior e, por isso, facilitado a habilitação.

 

Por tratar-se de um instrumento que integra todas as atividades de controle das operações de comércio exterior, o Siscomex acabou uniformizando os procedimentos de todos os órgãos intervenientes facilitando assim a difusão das informações a todos os envolvidos como:

• Integração da Aduana

• Importador

• Exportador

• Bacen

• Órgãos anuentes.

Para quem sempre trabalhou com o Siscomex, talvez não tenha ideia de como o processo era muito mais burocrático. Antes, a empresa deveria:

1. Ir ao Banco do Brasil na CACEX (Carteira de comércio exterior) e pegar as Gi’s (Guias de Importação)

2. Preencher a máquina e não cometer nenhuma rasura.

3. Após o preenchimento das mesmas devolvia-se ao banco para a conferência e devida emissão da GI.

4. Caso algum campo estivesse preenchido de forma incorreta ou com rasuras, o banco devolvia para um novo preenchimento e posterior devolução para as assinaturas tardando mais ainda o processo de importação

Além de oferecer todas as vantagens acima, ao se registrar no Siscomex, você ainda tem acesso a notícias e outras informações relacionadas ao comércio exterior.

Não há dúvida que a criação do Siscomex tenha sido uma marco na história do Comércio exterior brasileiro principalmente pela agilidade da emissão e anuência dos processos tanto de importação quanto exportação.

Resumindo, o Siscomex facilitou e desburocratizou o acompanhamento de entrada e saída de mercadorias no país além de:

1. Trazer mais agilidade aos processos de Comércio exterior

2. Reduzir o volume da burocracia nas atividades comerciais

3. Reduzir o número de documentos utilizados nas operações os quais anteriormente eram controlados por meio de inúmeros papéis

4. Maior rapidez e precisão na consulta das informações.

Você já usa o Siscomex? Como ele tem ajudado você e a sua empresa no processo de viabilização de importação e exportação, se comparado com os processos realizados antigamente?

Deixe o seu comentário e até o próximo post!